19 julho 2017

Morando em Friburgo




Desde outubro do ano passado, comecei um novo capítulo na minha história. Larguei minha vida boêmia (cof cof) do Rio pra me aventurar na Serra do Rio de Janeiro com as crias. Há algum tempo eu tinha decidido que precisava de um recomeço. De preferência bem longe do barulho da cidade grande e dessa selva de concreto que a gente vivia.

 Eis que decobrirmos a Escola Waldorf em Friburgo. Um sonho de pedagogia! E a cereja do bolo: pública. Óbvio que não seria fácil de conseguir vaga...É muito concorrida! Mas resolvi dar um salto rumo ao desconhecido assim mesmo. Eu não tinha absolutamente NADA a perder. Encontramos uma casa muito próxima da escola e estamos na fila de espera. Mas por enquanto, ganhei um cartao postal toda vez que eu abro a janela. O canto dos passarinhos pela manhã e ao final do dia...um clima maravilhoso, muito mais segurança e liberdade pras crias, e o mais incrível de tudo: SILÊNCIO!

As pessoas aqui são tão educadas, que às vezes chega a ser chato hahahahaha Mas prefiro a chatice delas do que a falta de educação que a gente sentia na pele diariamente em Caxias (com música no ultimo volume, baile funk no meio da rua até 4 da manhã). Sinto falta evidentemente de algumas coisas. Tais como estar perto da minha família, ter o centro comercial pertinho de casa (10 min à pé) e o Sol. Puta merda!

Nunca pensei que eu fosse sentir falta do Sol, mas tô sentindo sim. Nos dias mais frios aqui no inverno, o termômetro chega bem perto de zero. Eu como boa carioca que sou, tô enfiada debaixo das cobertas e só saio quando é extremamente imprescindível. Porque a vontade é não sair pra nada mesmo u.u Mas a gente se vira com 3 cobertores, vários layers* de roupa, secador de cabelo pra esquentar o colchão e chazinho antes de dormir.

Num panorama geral, Friburgo é um sonho de lugar. Tem seus defeitos e limitações, claro. Como qualquer lugar. Mas dá pra rebolar e ter uma boa vivência aqui. Maaas, se você pretende vir morar pras bandas de cá, eu devo fazer algumas considerações que podem ser muito importantes;


1-Nova Friburgo é uma cidade EXTREMAMENTE tradicional e provinciana. Principalmente quando se trata de costumes e mentalidade. Eu tenho milhares de amigos gays e fora do padrão aqui. Mas a opinião é unânime. Todos sofrem com preconceito, e a maioria quer colocar o pé na estrada.

2- Transporte aqui é um saaaaco! Mesmo pra quem está acostumado com as condições precárias de transporte público urbano na cidade grande, vai ter um baquezinho aqui. No bairro que eu moro por exemplo (Cônego), os ônibus em teeeese, passam de 30 em 30 min. Mas quando atrasam, vc fica 1h no ponto de ônibus. E só tem 1 linha de ônibus dependendo da altura que você mora. Ah, sim! E custa uma baba! R$3,95 pra um trajeto de no máximo 10 min de percurso.

3- Simplesmente NÃO TEM roupa pra gordo aqui. Nem pra homem, nem pra mulher. Quando você garimpa MTOOOO, vc acha uma peça ou outra, e custa um rim.

4- A voltagem aqui é 220v. Eu me fodi. Todos os meus eletrodomésticos são 110v. Tive que adquirir um transformador pra geladeira e máquina de lavar. O microondas eu revezo quando uso. Uma foda.

Se por um lado rolou uma grande baque cultural e climático, por outro me encontrei. Encontrei sossego. Encontrei inspiração, novas possibilidades, e...um novo amor. O último amor. rs Numa cidade tão pequena, encontrei o amor da minha vida. Ficamos noivos hoje. Casamos no final do ano que vem se tudo correr como esperado hahahaha Então, no final das contas, eu to feliz sim. Feliz pra kct! Mudar é sempre bom. Recomendo u.u

Até a próxima, people!

08 março 2017

Dia internacional da Hipocrisia


Cometi o erro infeliz de sair na rua hoje e também de abrir as redes sociais. Em cada loja que passei um "parabéns pelo seu dia". Agora vejam só...1 dia dedicado a homenagear mulheres. As mesmas mulheres que são chamadas de putas, piranhas, safadas, vadias, quando são livres e dão para quem querem. Quando "escolhem demais". Quando o calor é intenso e o corpo fica a mostra. Quando tem opinião "demais". Quando não concordam em receber cantada nojenta ou fiu fiu andando na rua. As mesmas mulheres que são assediadas diariamente no transporte público, no trabalho, e se calam. As mesmas que ouvem piada sobre o lugar delas ser na cozinha pilotando fogão. Sobre serem ruins no volante por serem mulheres. As mesmas que tem música chamando de burra por causa da cor do cabelo. As mesmas mulheres que são forçadas a se encaixar num padrão "porn star" pra agradar homem. As mesmas que são divididas entre "pra casar"e "pra arregaçar". As mesmas que são culpabilizadas pelo próprio estupro. Mesmo quando é 1 vítima contra 33 estupradores. Pensa bem...é a gente que é chata pra caralho e cheia de mimimi, ou é o machismo nosso de cada dia que não permite que a gente sorria com esse "parabéns" vazio?! Eu não esperava nada mais dos homens hoje, do que silêncio, reflexão e conscientização. Mas não. Foi uma onda de reclamações sem fim sobre os posts feministas de conscientização. Nada de novo sob o Sol... homens reclamando das mulheres no dia "delas". Mas né?! Se já fazem isso tuuuudo que eu disse (e muito mais), nos outros 364 dias do ano, pq hoje seria diferente, não é mesmo? u.u Melhorem. Antes de nos dar parabéns, nos dêem respeito. Grata.

24 maio 2016

Quem você pensa que é queridinha?


As pessoas que me conhecem (de verdade), sabem que eu só sou "fresca" na aparência. Porque na real, eu sou aquela mulher que chega arrumadona, toda emperequetada, mas que senta no chão, dá gargalhada, fala alto, sem papas na língua, que adora cerveja, fala palavrão, tem 7 tatuagens e não tem pudor pra dizer o que pensa. E ser mãe dentro dessa sociedade preconceituosa é FODA. Principalmente quando você é solteira. Das frases recorrentes, estão entre elas: "Mas tão bonita e solteira...";  "Como assim você não é casada?"; "Nossa, não sei como você consegue com esse monte (leia-se 2) de filhos"; "Você não tem medo que sua filha imite seu comportamento?"; 

Maaaaana do céu! Vamos conversar? Porque olha bem...ninguém se preocupa se meu filho vai "imitar meu comportamento". Sabe pq não? Pq a gente tá tão condicionado a aceitar que tudo que homem faz é ok, que isso ficou completamente natural. E isso é uma grande merda. 
Eu me ferro de verde e amarelo e todas as cores da escala PANTONE pra sustentar e educar meus filhos, tentando ensinar eles a serem livres pra serem quem eles quiserem ser, e vem a sociedade fodona cagadora de regras me dizer que "mulher bonita tem q ter um ômi", e que é o armagedon eu ser solteira com esse "monte" de filhos (novamente, são só dois; e cuidar deles "sozinha") e deixar subentendido que eu sou um mau exemplo pra minha filha, que teoricamente é esperada ser "bela, recatada e do lar". 

Bom, pra começar, o mais absurdo disso tudo, é realmente toda essa cobrança em cima da mulher. É um absurdo eu cuidar dos meus filhos sozinha? Sim. Mas é lógico que todo mundo já subentende que a culpa é da mulher, claro."Deve estar solteira pq é assim, é assado".  Não ocorreu a ninguém que é uma escolha? Que as decepções me trouxeram até aqui? Eu me recuso a estar em um relacionamento só pra dizer pra sociedade que eu não sou uma coitada. Eu me amo pra caralho, e a sua opinião não altera em nada quem eu realmente sou. E olha, se os respectivos pais dos meus filhos não estão ativamente presentes, isso é responsabilidade deles, ok?!... Alguém se importa com isso? Aparentemente não. Só com os meus "modos" e a forma como eu vivo a minha vida. Agora, vir aqui em casa se oferecer pra limpar um chão, lavar uma louça, trocar uma fralda ninguém quer, né?! 

Alice fez aniversário dia 13/05 e surpreendentemente (sqn) ganhou 2 conjuntos de panelinhas e boneca das mães de menino. Coincidência ou não, as mães de meninas deram livros, jogos interativos e uma moto pra boneca com ferramentas (ai meu coraçaum). Mas minha filha não decepciona... Hoje de manhã ela estava brincando com os jogos de panelinha e utensilios de cozinha. Maaaaaas, ela estava usando para fingir que eram instrumentos cirúrgicos. Ha! Porra galere, estamos no século XXI...já passou da hora de entender que constituição de família, compreende um grupo de pessoas que convivem entre si, se amam e fazer o possível pra que não falte nada uns aos outros. E olha, nada contra panelinhas e bonecas, mas pq só nossas meninas brincam disso? Eu tenho um amigo, que quando era pequeno, todo mundo chamava de N adjetivos pejorativos por ser feminino. Ele andava com as meninas e queria brincar de boneca e casinha. Sabe o que a mãe dele fazia? Apoiava, dava amor e comprava as casinhas! (loooove) Sabe oq é isso? Amor. Vamos derrubar esse tabu, vamos? Théo vai brincar do que quiser, e Alice tb! E só pra constar, um homem na minha vida não mudaria isso, ok? 

Esse desfile de preconceitos é puxado de lidar, viu?! E se minha filha "imitar" meus "modos" eu vou ter é orgulho pra kct!! Levem seus comportamentos cheios de preconceito pra lá! Grata.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...