16 março 2016

Adeus Estocolmo...


Pra ouvir lendo: http://bit.ly/1nPrmbP

Eu fico me perguntando como essa síndrome de cachorro abandonado acontece... em que momento do "eu não te amo" e o "eu não quero estar com você", a porcaria do coração entende "fique loucamente obsecado por esse ser humano"... Mas depois de algumas boas porradas da vida, a gente começa a enxergar as prioridades e acordar. O que era importante, vai aos poucos deixando de ser. Como dizem por aí: "Quem muito se ausenta, uma hora deixa de fazer falta". E olha, deixa mesmo...
A gente começa a entender que o melhor pra gente, nem sempre é o que a gente quer. E eu posso dizer que estou me curando... Só se vê a cicatriz. Mas o tempo vai passar, e ela vai sumir...Eventualmente. E eu sei, que quando eu me curar, você vai mudar de idéia. Mas dessa vez, eu te juro, que vai ser tarde demais. Baby, I'm sorry, but you had your chance. 

*Síndrome de Estocolmo: é o nome normalmente dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação, passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor.

06 fevereiro 2016

Adeus


Eu decidi que queria e ia sim te esquecer. Daí fui forte. Não chorei. Fiquei atenta aos meus pensamentos pra não levar rasteira de mim mesma. Mas, a vida não é justa né? Eis que chego contente e parcialmente recuperada da porrada e dou de cara com vc no corredor. Olhei pra vc e quis que a Terra me engolisse. Mas que não sobrasse nem ossos. Sabe aquela musiquinha beeeesta, velha: “te ver e não te querer, é improvável é impossível. Te ter e ter que esquecer, é inusportável a dor, é incrível...” Pois é. É bem por aí. E apesar de tudo que eu disse, eu entendo seus motivos. Embora não concorde com eles, eu respeito e entendo o porque.
Mas eu preciso que vc entenda o quanto isso é difícil pra mim... o quanto é difícil manter minhas atividades cotidianas tendo você por perto. Ingerir o meu almoço vendo você na mesa logo à minha frente com a sua meia branca com ziguezague azul bem na minha frente e a sua gargalhada contagiante invadindo os meus ouvidos... você é um idiota ÚNICO. Que vai ser impossível de substituir. Porque você cativou uma parte de mim que até então estava escondida, obscura, esperando alguém que entendesse. Esse alguém é vc.
Eu te deixo ir. E vou também. Mas saiba, que o meu coração ficou sim em pedaços, e nunca mais será o mesmo sem a sua risada torta, sem seu sarcasmo, sem nosso “dormir de conchinha”, sem o seu cheiro no meu cobertor... Adeus...

25 janeiro 2016

Como fazer Tapioca Granulada

Acontece que você chega em casa com um vontade giga de comer tapioca. O que você faz, vai atrás da farinha. Meu namorado foi no mercado e me chegou com 2 desse saquinho:


Pensei cá com os meus botões: "Nunca fiz com esse tipo de farinha, mas bora lá...afinal, tá escrito tapioca nessa bodega, certo?!" Errado! Coloquei a farinha na frigideira e nada aconteceu. Frustração máxima! O que fazer diante disso? Perder quase R$10 nessa propaganda enganosa? (ALÔ PROCON) Ou tentar dar um jeito nisso? Aha! Pensamos que, se essa farinha faz cuzcuz, certamente tem a mesma goma da tapioca original. Daí o processo foi.... Colocar a farinha novamente na frigideira como faríamos normalmente.


Daí o segredo dessa farinha granulada virar algo útil pra se transformar em tapioca...rs HIDRATAR!! Tãdã!!!! Mas o ideal é fazer isso com um borrifador de água (filtrada, tá gente? Pelamor) pra não perder a forma. Mas ó, pode carregaaaaar na água! Eu usei esse borrifador aqui, que eu comprei na lojinha de R$1,99:


Óbvio que não fica ó meu Deus, que igual à tapioca original, mas fica ótima pra quem curte mesmo tapioca. Ela fica mais borrachudinha! Meio parecida com um pão de queijo, sabe?


Enfim...salvamos o dia! Isso que importa! hahahhaha Se você como eu, comprou essa tapioca granulada, já tem uma solução, né?!  Beijo Beijo amores




LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...