25 dezembro 2017

Tô zen!

Sei que nesse momento, escrevo esse texto com o risco de nunca ser lida por ninguém. Afinal, quem sou eu na fila do pão? Mas ainda assim, sinto a necessidade de escrever. Com a chegada de um novo ano iminente, me peguei refletindo sobre como o ano de 2017, foi um ano incrível pra mim! Minha vida deu uma guinada totalmente inesperada com a chega do meu noivo (até o momento são 8 meses de relacionamento, mas que parecem uma eternidade). Me mudei para uma casa melhor (que às vezes mais parece um pequeno pedaço do paraíso), tive boas propostas de trabalho, conheci pessoas incríveis, ganhei o cachorro dos meus sonhos, e honestamente, não poderia estar mais feliz. Aliás, felicidade não é bem a palavra. Óbvio que eu estou feliz! Mas a palavra certa é gratidão. Pertencimento. Sensação de missão cumprida. Tenho plena consciência de que isso é só o começo de uma jornada muito longa. Mas se isso é o começo, foi um começo com o pé direito! Não foi um ano 10/10, mas foi pelo menos um 8! E isso é gratificante o suficiente pra mim. Nesse momento eu estou escrevendo daqui, na minha cama de frente para a janela do meu quarto, ouvindo o barulho suave do vento passando entre as folhas das palmeiras em meio à chuva, enquanto as crianças dormem tranquilamente no quarto ao lado. Do lado de fora, um silêncio impactante para alguém acostumado com barulhos dos carros e falatórios de bares madrugada adentro. Eu estou tirando férias pela primeira vez em muitos anos. E se isso não é paz, eu não sei o que é. Eu tenho muito a agradecer ao universo por esse ano que está se despedindo. Eu aprendi muito. Cresci muito. Sofri bem menos do que o usual (com base nos anos anteriores) e amei (e fui amada. Reciprocidade ❤) MUITO MAIS do que um dia achei que fosse capaz. Estou encerrando esse ano orgulhosa de mim, e de quem eu estou me tornando. O meu "eu de hoje", é ainda mais foda do que o meu "eu de 15 anos" imaginava que seria. Obrigada universo. Obrigada 2017. Que o próximo ano consiga superar todas as minhas expectativas! Ajayô!

02 outubro 2017

3 décadas




Sim...parece bastante tempo. Mas asseguro que passou voando pra mim. Parece que foi ontem que eu estava escrevendo meus "causos" na minha agenda da Chomp, e beijando o primeiro garoto em 2 de abril de 1999. E agora estou escrevendo meus causos novos aqui. Pra ninguém ler.

O que aconteceu comigo? Por quanto tempo eu dormi? De repente 30! É meio assim que eu me sinto. Falta uma identificação óbvia com essas 3 décadas de existência. Tenho sérios problemas de me ver como a "tia" dos amiguinhos dos meus filhos. É crise? Talvez. Mas acho que na real, nunca quis ser estereotipada pela minha idade. Eu sempre disse que seria uma "velha" muito louca, de cabelo colorido e cheio de tatuagens. E estar caminhando rumo à minha velhice com tanta rapidez, é um tanto assustador pra mim...
"Quem sou eu, onde eu tô, pra onde eu vou?"  São perguntas que ainda não estão 100% respondidas pra mim. Eu não consigo não pensar nessas coisas. Me indagar o tempo todo sobre OQ CARALHOS EU TO FAZENDO DA MINHA VIDA! Mas pera lá! Pq eu aprendi algumas coisas valiosas sim, nesses 30 anos de vida. E eu realmente queria compartilhar isso com vocês (se é q tem alguém aí do outro lado da tela). Aqui vai!

1-Nada, absolutamente NADA, é pra sempre. Tudo nessa vida tem começo, meio e fim. Pode espernear. Não adianta. É assim que funciona. Aproveite seus momentos. Sejam eles longos, ou breves.

2-Gritar, raramente resolverá seu problema. Ainda que você esteja MUITO puto, gritar vai fazer apenas com que as pessoas se sintam, coagidas, ofendidas ou simplesmente magoadas. Tente outra abordagem.

3- Se alguém diz que te ama, mas te machuca (física ou psicologicamente) incessantemente, existe 100% de chance disso não ser amor. Quem ama é atento. E essa atenção não precisa ser cobrada. Ela é inerente. Se você tem medo de sair dessa relação, peça ajuda. Você está num relacionamento abusivo. E não precisa ser um relacionamento "sexual". Amigos machucam. Parentes machucam...enfim. Vocês entenderam, né?!

4- Não jogue sua vida financeira pela janela por causa daquela bolsa linda que você viu no shopping. Nunca gaste mais do que você ganha. Isso se torna com o passar do tempo, uma bola de neve. E é uma questão de tempo até que ela esmague você. Pagar parcelado, pode ser a maior furada de todos os tempos. Planeje-se. Se você tem um emprego de carteira assinada, e quer fazer uma compra maior que o seu salário, espere até que você tenha pelo menos 6 mêses de casa, pra assumir esse compromisso. Assim, se você for mandado embora, existe esperança. Seguro desemprego, recisão, etc...

5- Não deixe pra amanhã o que você pode fazer hoje. Amanhã você pode não estar tão bem, e as coisas ficarão acumuladas. Meeeesmo caso da bola de neve. (Número 4)

6- Quando você ama alguém, vc não precisa se perguntar sobre. Você simplesmente sabe. E se você amar, não pense muito a respeito (aproveite).

7- Deixe ir oq não acrescenta. O que não te faz feliz (Marie Kondo). A vida vai ficar mais leve.

8- E o mais importante: Tu serás eternamente responsável pelas tretas que entras nas redes sociais. Pega leve! rs

Com esses conselhos, que eu gostaria que alguém tivesse me dado, vc já pode ser trintão e feliz.

Beijos pessoas

19 julho 2017

Morando em Friburgo




Desde outubro do ano passado, comecei um novo capítulo na minha história. Larguei minha vida boêmia (cof cof) do Rio pra me aventurar na Serra do Rio de Janeiro com as crias. Há algum tempo eu tinha decidido que precisava de um recomeço. De preferência bem longe do barulho da cidade grande e dessa selva de concreto que a gente vivia.

 Eis que decobrirmos a Escola Waldorf em Friburgo. Um sonho de pedagogia! E a cereja do bolo: pública. Óbvio que não seria fácil de conseguir vaga...É muito concorrida! Mas resolvi dar um salto rumo ao desconhecido assim mesmo. Eu não tinha absolutamente NADA a perder. Encontramos uma casa muito próxima da escola e estamos na fila de espera. Mas por enquanto, ganhei um cartao postal toda vez que eu abro a janela. O canto dos passarinhos pela manhã e ao final do dia...um clima maravilhoso, muito mais segurança e liberdade pras crias, e o mais incrível de tudo: SILÊNCIO!

As pessoas aqui são tão educadas, que às vezes chega a ser chato hahahahaha Mas prefiro a chatice delas do que a falta de educação que a gente sentia na pele diariamente em Caxias (com música no ultimo volume, baile funk no meio da rua até 4 da manhã). Sinto falta evidentemente de algumas coisas. Tais como estar perto da minha família, ter o centro comercial pertinho de casa (10 min à pé) e o Sol. Puta merda!

Nunca pensei que eu fosse sentir falta do Sol, mas tô sentindo sim. Nos dias mais frios aqui no inverno, o termômetro chega bem perto de zero. Eu como boa carioca que sou, tô enfiada debaixo das cobertas e só saio quando é extremamente imprescindível. Porque a vontade é não sair pra nada mesmo u.u Mas a gente se vira com 3 cobertores, vários layers* de roupa, secador de cabelo pra esquentar o colchão e chazinho antes de dormir.

Num panorama geral, Friburgo é um sonho de lugar. Tem seus defeitos e limitações, claro. Como qualquer lugar. Mas dá pra rebolar e ter uma boa vivência aqui. Maaas, se você pretende vir morar pras bandas de cá, eu devo fazer algumas considerações que podem ser muito importantes;


1-Nova Friburgo é uma cidade EXTREMAMENTE tradicional e provinciana. Principalmente quando se trata de costumes e mentalidade. Eu tenho milhares de amigos gays e fora do padrão aqui. Mas a opinião é unânime. Todos sofrem com preconceito, e a maioria quer colocar o pé na estrada.

2- Transporte aqui é um saaaaco! Mesmo pra quem está acostumado com as condições precárias de transporte público urbano na cidade grande, vai ter um baquezinho aqui. No bairro que eu moro por exemplo (Cônego), os ônibus em teeeese, passam de 30 em 30 min. Mas quando atrasam, vc fica 1h no ponto de ônibus. E só tem 1 linha de ônibus dependendo da altura que você mora. Ah, sim! E custa uma baba! R$3,95 pra um trajeto de no máximo 10 min de percurso.

3- Simplesmente NÃO TEM roupa pra gordo aqui. Nem pra homem, nem pra mulher. Quando você garimpa MTOOOO, vc acha uma peça ou outra, e custa um rim.

4- A voltagem aqui é 220v. Eu me fodi. Todos os meus eletrodomésticos são 110v. Tive que adquirir um transformador pra geladeira e máquina de lavar. O microondas eu revezo quando uso. Uma foda.

Se por um lado rolou uma grande baque cultural e climático, por outro me encontrei. Encontrei sossego. Encontrei inspiração, novas possibilidades, e...um novo amor. O último amor. rs Numa cidade tão pequena, encontrei o amor da minha vida. Ficamos noivos hoje. Casamos no final do ano que vem se tudo correr como esperado hahahaha Então, no final das contas, eu to feliz sim. Feliz pra kct! Mudar é sempre bom. Recomendo u.u

Até a próxima, people!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...