12 janeiro 2011

A resposta


Eu sou o tipo de pessoa que prefere não fazer do que fazer malfeito.
Sou o tipo de pessoa que se afasta das pessoas por causa de palavras rudes.
Eu sou o tipo de pessoa que acredita na felicidade intermitente.
Sou o tipo de pessoa que não leva desaforo pra casa. Se alguém me trata mal eu rebato na mesma hora, mas não com arrogância, mas com toda a delicadeza que Deus me deu.
Eu sou o tipo de pessoa amável que não exita em dizer um "eu te amo" se esse for verdadeiro.
Sou o tipo de pessoa que se ama ou se odeia.
Sou o tipo de pessoa que acredita na gentileza e na bondade acima de tudo.
Sou o tipo de pessoa que acredita que o amor é a resposta pra tudo que não se encontra resposta imediata.

8 comentários:

  1. Prima adorei o seu banner novo beijinhos

    ResponderExcluir
  2. "Eu sou o tipo de pessoa que prefere não fazer do que fazer malfeito.
    Sou o tipo de pessoa que se ama ou se odeia." [2]
    hahaha.
    Sabe que eu tenho um pouco de medo de fazer essa de "sou do tipo" pra postar. Porque eu sou tão intensa e inconstante =Z

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. E certa está você em ser assim!

    ResponderExcluir
  4. Sou do tipo de pessoa parecida com o seu tipo de pessoa!
    Deve ser por isso que me identifiquei tanto com vc e te adoro desde ja ;D

    Beijos Nina!

    Ps: vi o seu susto com a Alice e ri um pouquinho do seu post; gracas a Deus nao foi nada neh!? e "pums" (kkkkk) fazem parte! bjos

    ResponderExcluir
  5. Você é um doce amiga!
    E a melhor coisa que você faz é responder arrogância com educação. E concordo que o amor é a resposta pra tudo.
    "Sou o tipo de pessoa que se ama ou se odeia." Eu acho que te amo amiga...

    hehe
    Beijo mocinhas!

    ResponderExcluir
  6. Nina, vim retribuir tua visita ao blog... adorei e adorei tbm o seu, coisa fofa!
    Sobre o que escrevesses, acho vc mto parecida comigo, só não sou do tipo que retruco na hora... até queria ser, pq mts das vzs sofro calada por essas coisas.

    bjkas flor, jah toh te seguindo.

    ResponderExcluir
  7. Ni, você é o tipo de pessoa como eu! Também só faço se for pra me dedicar e fazer bem feito e nunca sou o meio-termo, o mais ou menos! Você é uma pessoa querida demais, que cada vez admiro mais, saiba disso!

    Então, quanto às dores todas, meu GO nunca falou que isso seria um problema. Pelo contrário, ele dizia que isso era coisa do final da gravidez, pelo peso da barriga! Não sei se a precipitação da cesária foi por ele ter visto algo de estranho ou simplesmente porque eu estava desconfortável demais e ele viu que eu não evoluiria para trabalho de parto, logo, apenas adiantou o que já era certo. Enfim, na minha consulta do dia 25, vou perguntar pra ele se ele fez o parto antes pela possibilidade de algum problema! Mas creio que não!

    Pelo que sei essas dores todas são típicas do estiramento dos ligamentos que sustentam o útero, que passam pelos lados da barriga e se fixam no púbis (quanto mais pesado o bebê, mais sentimos esse desconforto). Eu tive todo tipo de cólica durante a gravidez toda e nunca tive nenhum problema, graças a Deus! Então, amiga, se você fez os exames todos e sempre esteve tudo bem, fique tranquila! Como diz meu médico, o bebê não é tão frágil assim e 95% dos nossos medos não têm fundamento. É apenas insegurança mesmo!

    Logo, logo a Alice está aí cheinha de saúde, linda, gordinha e saudável! E você vai poder curti-la em cada momento que é realmente único! A gente se encanta com tudo! A Clarinha acabou de fazer xixi e cocô na minha mão enquanto eu trocava sua fralda e dei risada! hahaha Mãe é tudo boba!

    Um beijo enorme, querida!

    ResponderExcluir
  8. Querida, agora entendo sua preocupação! Mas fique tranquila! Se a dor, por exemplo, passa quando você repousa, já é um sinal nítido de que não é nada, é apenas o peso da barriga. Comigo era assim... um dia doía a barriga a noite inteira, e na manhã seguinte eu já acordava ótima, super normal. Agora, se a dor persiste, se a barriga fica dura quando vem a dor, se realmente te incomoda mesmo quando você repousa, vale a pena procurar um médico, sim! Mesmo que particular só pra verificar se tudo está bem!

    Não há de ser nada, tenho certeza!

    E te aviso de antemão: é preciso aprender a lidar com esses nossos medos, porque eles não desaparecem depois que o bebê nasce. Pelo contrário, surgem novos receios e inseguranças e culpas. Saibamos tirar disso tudo boas lições. O importante mesmo é que amor de mãe nós temos. De sobra! ;)

    Um beijo enorme!

    ResponderExcluir

|||||| URBANO CHIC ||||||

Deixe seu comentário...ficarei feliz!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...